Área do Associado Entrar
DELIVERY PODE SALVAR EMPRESAS

DELIVERY PODE SALVAR EMPRESAS

Entrega em domicílio se tornou a principal estratégia no período da pandemia

Publicado em 08/07/2020

A situação sem precedentes da pandemia do novo Coronavírus trouxe impactos diversos entre os negócios, afetando principalmente as vendas do comércio físico. Porém, enquanto algumas empresas tiveram redução de suas vendas, outras puderam contemplar um aumento significativo.

O sistema de delivery passou de tendência para uma necessidade do mercado, e para garantir a sobrevivência dos negócios, se tornou fundamental, poder entregar produtos e serviços na casa do consumidor.

Neste contexto tão desafiador, empresários de diversos segmentos precisaram buscar alternativas para manter o negócio operante, mesmo que de forma parcial e respeitando as medidas de prevenção, impostas pelas autoridades de saúde.
Algumas empresas optaram por montar seu próprio sistema de delivery, outras adotaram serviços completos de e-commerce, outras no entanto, aderiram a Marketplaces já existentes. Cada uma dessas soluções podem trazer um impacto diferente para o negócio.

Além da agilidade e resiliência, a inovação e a criatividade se mostram indispensáveis nesse modelo de consumo. Diante disso, as marcas podem se destacar, lançando benefícios para seus consumidores, desenvolvendo serviços online e até mesmo ações solidárias.

Para iniciar, ou até mesmo ampliar o atendimento à distância, o empresário deve tomar alguns cuidados. Como exemplo as embalagens, que devem proteger o produto, o transporte que deve se manter limpo e seguro, e também a garantia de segurança e proteção do entregador.

Além disso, a presença nas mídias digitais também são fundamentais para envolver o consumidor, possibilitando a divulgação do produto, bem como o compartilhamento de conteúdo relevante relacionado à área de atuação.

O modelo de delivery, antes acolhido fortemente no segmento da alimentação, avança nos setores de moda, saúde, supermercados, utilidades e serviços.

Em Nova Friburgo, empresas vêm mostrando a importância da versatilidade em relação às transformações dos negócios, se adaptando ao novo cenário e vislumbrando resultados positivos.

No mês de abril, a Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (ACIANF), lançou a Campanha “Bota a Economia pra Rodar” visando estimular o comércio local e facilitar a vida do consumidor no período de isolamento social.

A Campanha já conta com mais de 600 empresas cadastradas, sendo que quase 50% desse número, passaram a atuar nessa modalidade somente no período de isolamento social.

A Casa Friburgo, tradicional rede de supermercados em Nova Friburgo, que já atuava anteriormente com o sistema de delivery, intensificou sua operação após a chegada da pandemia. Célio Figueira, gerente da empresa, acredita que o futuro do mercado certamente será via e-commerce, e informa que a demanda de compras online já vinha tendo progresso. Apesar das lojas físicas se encontrarem abertas, por comercializarem produtos essenciais, as vendas pelos canais digitais da empresa aumentou consideravelmente no período de isolamento social. A empresa precisou investir na implantação de sistema, mão de obra focada e na otimização do processo de entrega dos pedidos. “É necessária a utilização de sistemas apropriados para compras online, estudar esse tipo de operação de mercado e mão de obra focada no segmento”. Comenta Célio. O delivery, trouxe para a empresa um aumento significativo nas vendas, a manutenção dos empregos já existentes e geração de novos postos de trabalho. A empresa orienta aos motoboys, que são terceirizados, sobre o uso de máscaras, higienização constante das mãos, gentileza no trânsito, cordialidade e pontualidade com o cliente.

Já no Commemori Buffet e Festas, o que levou ao empresário David Ramos, a tomar a decisão de trabalhar com delivery, foi o desejo de atender aos clientes, tentar cumprir com os compromissos financeiros básicos, assegurar o quadro de colaboradores e se manter presente no mercado, não deixando cair no esquecimento seus produtos e serviços. O espaço físico encontra-se fechado há 90 dias, por determinação de decretos municipal e estadual. Para a implantação desse novo sistema de vendas, a empresa investiu basicamente em embalagens que garantam a qualidade dos produtos até a casa do cliente e conhecimento técnico sobre delivery para atender as expectativas, pois já dispunha de cozinha estruturada, mão de obra especializada e estoque de material suficiente. As vendas, atualmente, representam 10% da receita normal da empresa, que atua no segmento de eventos. As vendas por delivery trouxeram benefícios, como poder se manter próximo dos clientes e o nome em evidência no mercado. David pontua que orienta os motoboys, que são terceirizados, quanto a pontualidade, cuidados com o produto e também com a higienização do baú para entrega mais segura. Porém, após um motoboy se acidentar e isso acarretar também em atraso nas entregas, a empresa prioriza a retirada dos produtos diretamente pelo cliente, para garantir a qualidade.

A empresa Ki Frango, do empresário, Antônio Carlos Thurler, é uma das mais acessadas e bem avaliadas no site da ACIANF. A inovação trouxe à empresa benefícios como o aumento significativo nas vendas e a possibilidade de contratação de uma funcionária. Thurler comenta que iniciou a divulgação nas redes sociais e observou então a necessidade de investir em equipamentos e tecnologia. Possui motoboy contratado e também terceiriza o serviço, prezando sempre pela qualidade nas entregas.

Flavio Stern, proprietário do Restaurante Trilhas do Araçari, decidiu iniciar o sistema de delivery no mês de abril. O restaurante encontra-se fechado, tendo em funcionamento apenas as visitas para o “colha e pague” na horta do restaurante e a possibilidade de retirada dos pedidos no local. As vendas do delivery representam apenas 20% das vendas normais do estabelecimento, porém os custos administrativos e operacionais não diminuíram nesta proporção. Flávio acredita que “De todas as crises, podemos retirar um grande amadurecimento e um legado. Nesta pandemia, o amadurecimento será nas melhorias de gestão administrativa e financeira, controles da qualidade e o grande legado será o respeito, a higiene e a qualidade na alimentação e na saúde”. A empresa também repassa aos motoboys, que são terceirizados, as orientações básicas, como usar sempre a máscara de barreira, álcool gel, colocar a case dos alimentos em locais limpos e adequados, usar a direção defensiva e sempre levar o telefone celular, para que em caso dificuldade de localização, possa entrar em contato com o cliente. Passou a capacitar os motoboys, uma vez que entende que essa é uma nova realidade para empresa.

O movimento dos motoboys pelas ruas da cidade aumentou substancialmente. De acordo com a empresa Elite Boys, o movimento de entregas aumentou durante o período diurno. Contudo, se manteve igual à noite, devido a um número grande de estabelecimentos que atendiam, permanecerem fechados. Ainda assim, aumentaram em 50% o quadro de entregadores para suprir a demanda.

O proprietário da empresa Motoboy Expresso, Thiago do Couto, informa que teve uma redução de 30% a 40% em seus contratos fixos. Em compensação, empresas de diversos segmentos que não atuavam com sistema de delivery, passaram a contratar os serviços de entregas. Na última semana, a empresa alcançou 80% do movimento que tinha antes da pandemia, notando um aumento ainda maior no dia dos namorados. Com isso, a empresa pode contratar novos funcionários. Thiago aborda também algumas dificuldades que enfrenta atuando com serviços de entrega, como a desvalorização do serviço, falta de sinalização e atenção pelos motoristas de automóveis e também a falta de um sindicato para a categoria.

A ACIANF faz ainda a recomendação de que os funcionários que atuam na separação dos produtos para entrega e também aqueles que levarão a mercadoria até o consumidor, sigam integralmente os protocolos de higienização recomendados pelas autoridades de saúde, lavando as mãos e utilizando álcool em gel com frequência.

Para se cadastrar na Campanha, as empresas devem entrar em DELIVERY no site: www.acianf.com.br, ou enviar uma mensagem para o WhatsApp: (22) 99791 9680.
Informações também nas redes sociais da ACIANF: www.facebook.com.br/acianf e www.instagram.com/acianf.

Voltar