Área do Associado Entrar
AMBIENTE DE INCERTEZA PARA 72% DO EMPRESARIADO, REVELA PESQUISA

AMBIENTE DE INCERTEZA PARA 72% DO EMPRESARIADO, REVELA PESQUISA

Pesquisa encomendada por associações, revela resultado de 04 cidades do interior do Rio

Publicado em 13/08/2020

Com o objetivo de se obter uma base de dados ampla para o ambiente de negócios e então auxiliar no processo de tomada de decisão, planejamento e gestão das empresas, a People and Business Solutions (PBS Brasil), realizou uma pesquisa encomendada pela Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (ACIANF), em parceria com a Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Teresópolis (ACIAT), a Associação Comercial Industrial e Turística de Cabo Frio (ACIA), a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis (CDL) e o Sindicato do Comércio Varejista de Nova Friburgo, Petrópolis e Teresópolis (Sincomércio).

A pesquisa foi criada para analisar o panorama da atividade dos setores do comércio, indústria e agricultura na Região Serrana e Região dos Lagos do Rio de Janeiro durante a pandemia.

A pesquisa abordou um total de 185 empresas, nas cidades de Nova Friburgo, Teresópolis, Petrópolis e Cabo Frio, para se chegar a um panorama que retrata da melhor forma a realidade, e foi respondido uma única vez por cada CNPJ.

O formulário foi realizado pela ferramenta Google Forms, com um total de 17 perguntas e ficou disponível para respostas do dia 16 de junho de 2020 até o dia 28 de julho de 2020. Foi divulgado por meio de aplicativos de mensagens, e-mail e também através do site das associações participantes.

O resultado da pesquisa está sendo divulgado em um painel formulado na ferramenta Microsoft Power Bi®️, para uma análise mais clara e dinâmica dos dados.

A PBS destacou, como pontos principais levantados pela pesquisa:
- Grande impacto da pandemia sobre as atividades e a geração de caixa das empresas, onde 46% das empresas necessitaram paralisar suas atividades por mais de 30 dias e mais de 70% tiveram uma redução de 25% ou mais de suas receitas.
- O cenário obrigou as empresas a tomarem medidas de contenção de gastos como programas de corte de custos (61%), suspensão de programas de inovação (39%), e redução do quadro de colaboradores (38%), sendo os mais frequentes entre as diversas medidas.
- Embora a MP 936 tenha sido utilizada pela grande maioria dos empresários (63%), o acesso às linhas de crédito com condições razoáveis (taxas e carências) se mostra viável para uma parcela ainda pequena das empresas, com apenas 12% dos participantes na pesquisa tendo obtido êxito em condições diferenciadas à do período pré-crise e se confirmam como as demandas mais relevantes do empresário para o governo, somadas com a redução e simplificação da carga tributária e encargos trabalhistas.
- 88% das empresas não consideram viável ou consideram viável apenas parcialmente o trabalho remoto em home-office, enquanto 64% acreditam que seus clientes alterarão definitivamente seu padrão de consumo.
- Em relação ao retorno das atividades, 69% ainda não enxergam um prazo para o estabelecimento da normalidade de suas operações, mas 45% consideram que será necessário acima de 1 ano para o retorno ao momento pré-Covid19.
- Todo esse quadro resulta num ambiente de enorme incerteza para 72% dos participantes, mas pode-se observar ainda um número significativo de otimistas (19%) com a retomada econômica.

O estudo será feito periodicamente, ao longo do período mais agudo da crise, para dar visibilidade sobre a situação da cadeia de valor das regiões, e se baseará nas melhores práticas para questionários de panoramas de ambiente econômico.

Todos os empresários da Região Serrana e dos Lagos estão convidados a responder aos questionários e, assim, contribuir para que se possa sentir o pulso do ambiente de negócios e então trazer visibilidade sobre a real situação empresarial.

Voltar