Área do Associado Entrar
Entidades empresariais e de classe de Nova Friburgo reivindicam a liberação do Plano de Flexibilização à PMNF

Entidades empresariais e de classe de Nova Friburgo reivindicam a liberação do Plano de Flexibilização à PMNF

O objetivo é tomar conhecimento, mesmo antes da expedição de decreto liberatório, de modo ao ajuste de planejamento, já tão sacrificado pelas incertezas dos 90 (noventa) dias de fechamento das empresas.

Publicado em 24/06/2020

As entidades empresariais e de classe de Nova Friburgo enviaram, na data de hoje, um ofício à Prefeitura Municipal, solicitando a liberação da minuta do Plano de Flexibilização elaborado pela municipalidade para todos os setores proibidos do funcionamento, a fim de que possam se preparar, seguindo o cronograma proposto para a reabertura empresarial.

Tendo em vista decorrido já 90 (noventa) dias do início da quarentena e a possibilidade de liminar do Tribunal de Justiça, cassando os efeitos da liminar de Nova Friburgo, que impediu o decreto municipal do prefeito de reabrir as indústrias com 50% da capacidade, as entidades, reunidas, tanto ligadas às empresas, quanto ligadas às entidades de classe, reivindicam à prefeitura para que, mesmo antes de publicação de novo decreto, ela possa dar conhecimento a esses segmentos a fim de que possam se preparar para eventual flexibilização gradual.

Assinaram o ofício: A Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (ACIANF), a Câmara dos Dirigentes Lojistas de Nova Friburgo (CDL), o Sindicato do Comércio Varejista de Nova Friburgo (Sincomércio), a Representação Regional da Federação das Indústrias do Estado do Rio de Janeiro (FIRJAN), a 9ª Subseção da Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ), o Sindicato das Indústrias de Vestuário de Nova Friburgo e Região (SINDVEST), o Nova Friburgo Convention & Visitors Bureau, o Sindicato de Hóteis, Restaurantes, Bares e similares de Nova Friburgo (SHRBSNF), a Associação de Lojistas do Cadima Shopping (ALCAS), o Conselho Comunitário de Segurança de Nova Friburgo (CONSEG) e a Associação do Comércio e da Indústria de São Pedro da Serra (ACISPS).

Até então, as entidades citadas não tem conhecimento do cronograma de flexibilização de abertura proposto, o que causa grande apreensão.
Diante do risco financeiro dos negócios de nossa cidade, da crescente onda de fechamentos de estabelecimentos, aumento substancial, ameaçador e descontrolado do desemprego, medida urgente nesse sentido, se faz necessária, de modo a não se perder mais tempo, razão pela qual é apresentado este pleito do comércio, serviço, indústria, turismo, restaurantes, hotéis e demais segmentos.
O propósito das entidades é tomar conhecimento antecipadamente, por alguns dias de qual a ideia da Prefeitura Municipal, quanto à possível flexibilização. Outros setores, além das indústrias, também precisam tomar conhecimento, para se planejarem ao retorno, como convocar funcionários, entre outras ações. Muitas empresas estão na iminência de fechar, aguardando informações de como proceder.

Voltar