Área do Associado Entrar
Novas tendências e o otimismo no mercado imobiliário

Novas tendências e o otimismo no mercado imobiliário

Setor vem se mantendo e até mesmo crescendo num momento de incerteza econômica

Publicado em 28/08/2020

Apesar do mercado imobiliário sofrer grandes impactos com a pandemia do Coronavírus, os meses de junho e julho já foram marcados pelo otimismo. Taxas de juros mais baixas, propostas atrativas de financiamento e uma nova demanda por imóveis mais espaçosos, criada pelo confinamento, agitam o setor, que espera um balanço positivo para o segundo semestre de 2020. As imobiliárias de Nova Friburgo também puderam sentir os impactos causados pela pandemia, mas já conseguem observar novas tendências para o aquecimento do mercado.

Além das condições econômicas favoráveis, todo o contexto do distanciamento social também foi responsável por esse avanço no mercado imobiliário. Passando mais tempo em casa, dividindo tempo e espaço entre trabalho e família, mas com a estrutura, nem sempre adequada à essa finalidade, muita gente já tem se adiantado ao fim da pandemia e buscado outro imóvel, que atenda às novas necessidades. Espaço para deixar sapatos e roupas, escritório com estrutura para teletrabalho, sacadas em apartamentos, comércio próximo e espaço externo para crianças e animais de estimação gastarem energia são algumas das principais características buscadas.

De acordo com Pedro Henrique Ferreira da Costa, corretor de imóveis e proprietário da Emprimo Imobiliária, o maior número de devoluções de imóveis se deu em contratos residenciais: “No período da pandemia, tivemos um número alto de negociação dos valores de aluguéis comerciais, chegando a 50% de desconto ou até mesmo isenção total durante o período. Porém, tivemos uma taxa pequena de devolução de imóveis comerciais e residenciais, sendo esse número maior em contratos residenciais.”

No mês de março, quando recebeu o decreto que determinava o fechamento das portas, Pedro pôde notar que o mercado se manteve confuso e as pessoas muito receosas. Já nos meses de maio e junho, observou uma nova tendência de compra: “Como tendência de mercado, foi possível identificar a compra de imóveis por investidores, que se mostra um investimento mais seguro em momentos de crise.”

Segundo Pedro, a busca de imóveis no interior dos estados, por pessoas advindas das capitais em busca de maior qualidade e menor custo de vida, tanto para veraneio quanto para moradia fixa. Com isso, espera que o segundo semestre de 2020 consiga retomar um equilíbrio e então vislumbrar melhores negócios em 2021.

Já segundo Gabriel Ruiz, um dos proprietários da Predial Primus, pode-se enxergar um início de aquecimento do mercado, já que o momento começa a ficar muito propício para compra de imóveis. “A taxa de juros se tornou muito favorável para aquisição de imóveis com juros inéditos nesse sentido. Temos uma procura pelos investidores que buscam o imóvel como uma renda, um investimento inquestionável nesse momento. Além disso, observamos muitas pessoas pensando em investir em espaços mais amplos após esse período de isolamento social, passando a dar mais valor à sua residência, ou seja, já observamos um aquecimento muito animador na compra e venda de imóveis diferente da locação que tem situação diversa nesse momento, mas também acreditamos em uma retomada um pouco mais lenta, mas que já começa a ocorrer.”

Quanto à inadimplência dos aluguéis, Gabriel informa que as negociações foram primordiais: “Quanto a locação, tivemos a inadimplência no período de isolamento social chegando ao patamar dos 60%. Obtivemos muito êxito em negociações, onde principalmente nas locações comerciais, houveram composições muito significativas entre locadores e locatários, onde a Predial Primus buscou orientar e intermediar esses acordos. Nossa inadimplência que girava em torno de 20% na locação, hoje já se encontra na base de 10%, com várias negociações ainda em curso.”

Para Gabriel, a entrega de imóveis alugados é resultado de incertezas e perda de receitas: “Quanto a entrega de imóveis, mesmo com enorme composição, houve um aumento significativo (em torno de 60% sobre a nossa média mensal), lideradas principalmente pela entrega de chaves nos imóveis comerciais. Muitos empresários estão receosos, pois não sabem até quando irá durar essa pandemia. E muitos preferiram entregar seus pontos mesmo com essa composição de acordos entre proprietário e locatário sendo muito alta percentualmente. Por outro lado, quanto as locações residenciais, o maior motivo das entregas foram a perda de renda dos inquilinos e também a entrega por parte de estudantes que moram fora de Friburgo, já que estes não sabem quando as aulas presenciais irão retornar.”

Observamos ainda uma certa apreensão, tanto nos inquilinos, quanto nos proprietários e investidores. Mas podemos vislumbrar uma retomada positiva, pois apesar de muitos imóveis ainda vazios, alguns negócios vêm sendo concretizados, tanto na locação, quanto na compra e venda, seja para investimento ou moradia.

Independente da forma de negócio (seja compra ou locação), as novas necessidades dos clientes vêm colocando imobiliárias e construtoras para trabalhar em ritmo mais acelerado.

Além da produtividade no trabalho, a qualidade de vida se tornou um fator dominante e um estímulo para a busca de um imóvel mais adequado. Já se pode notar que essa condição vai perdurar por algum tempo. Nesse quesito, Nova Friburgo é um destino muito acolhedor, por reunir muitos aspectos positivos como a qualidade e baixo custo de vida, atrativos turísticos, culturais, gastronômicos, colégios e universidades tradicionais, além de negócios em pleno desenvolvimento, como as cervejarias artesanais.

A Associação Comercial, Industrial e Agrícola de Nova Friburgo (ACIANF) vem produzindo, apoiando, e incentivando projetos que possam amenizar os impactos sofridos pela pandemia, visem o desenvolvimento de novos segmentos profissionais e de negócios, o fortalecimento econômico, social, cultural e também a melhoria da qualidade de vida da cidade.

A ACIANF seguirá enfrentando adversidades e lutando sempre pelos valores nos quais acredita, em defesa dos segmentos associados e em benefício de toda a sociedade friburguense. Uma associação que busca sempre, cumprir com eficácia o seu papel de liderança.

Voltar